Quanto gastar em Buenos Aires em 2016

Ano novo, governo novo, preços novos e muitas outras mudanças. Isso tudo faz parte do panorama da Argentina de hoje.

A partir de dezembro de 2015, uma das primeiras novidades foi em relação ao câmbio. A cotação oficial do dólar (e de outras moedas estrangeiras como o real e o euro) foi atualizada e ficou muito próxima dos valores operados pelo mercado negro. Assim, já não é questão de vida ou morte ter que utilizar os “serviços” dos cambistas de rua: agora você pode trocar o seu dinheiro nas casas de câmbio de Buenos Aires legalmente. A diferença entre as duas cotações é mínima.

Sabemos que a moeda oficial na Argentina é o peso e no Brasil o real. Mas muitos leitores irão se perguntar por que colocamos os preços em dólares e não em moeda local? Com a inflação constante que o país vizinho sofre, os preços em pesos podem mudar rapidamente. Já com os valores desse post expressados em dólares os mesmos conseguem se manter atualizados por maior tempo.

Booking.com

Quanto gastar em Buenos Aires em 2016

Deseja saber quanto gastar em Buenos Aires em 2016? Leia o seguinte artigo e depois é só questão de pegar papel, caneta e calculador e fazer o orçamento.

Leia mais sobre o câmbio em Buenos Aires em 2016.  

Confira a cotação oficial do dólar e o real brasileiro na Argentina.

Comidas

Um dos assuntos mais relevantes na hora de fazer as contas e calcular as despesas da nossa viagem. Lugares para comer na capital portenha sobram, mas é importantíssimo levar em consideração não só a qualidade e a variedade da oferta: os preços variam bastante e podem fazer toda, ou quase toda a diferença.

  • Restaurantes:

O mais em conta, principalmente na hora do almoço, são os menus executivos promocionais, que incluem bebida e sobremesa (ou café). Podem ser achados por valores entre USD 9,00 e USD 13,00 por pessoa. Duas opções mais próximas do gosto brasileiro? Buffet livre, com sobremesa e sem bebidas: ao redor de USD 9,00. Buffet a quilo: aproximadamente USD 6,00, sem bebidas.

Conheça a cotação do dólar comercial e o dólar turismo no Brasil.

Escolher um almoço ou jantar em três passos (entrada, prato principal e sobremesa), com uma taça de vinho ou cerveja num restaurante mais bonitinho pode sair desde USD 24,00 por pessoa. Como para pensar muito bom antes de entrar!

  • Bares:

Sentar num dos numerosos bares e cafés portenhos é sempre uma atividade tentadora. Só que para poder degustar um simples cafezinho deveremos desembolsar mais ou menos o equivalente a USD 1,75 ou USD 2,00. Um café expresso médio ou um café com leite e medialunas estão na casa dos USD 3,50.

Quanto gastar em Buenos Aires em 2016, café com leite

  • Pizzarias:

Amada por muitos, desaprovada por outros, mas a pizza continua ocupando um lugar de destaque dentro da culinária portenha. Um programa que está sempre na agenda de moradores e turistas… mas quanto deveríamos pagar para saborear o tradicional prato italiano? Por uma pizza grande de mozzarella com duas cervejas pequenas ou dois refrigerantes calcule algo assim como USD 16,00.

  • Fast-food:

Do mesmo jeito que as pizzarias, as redes de fast-food são bastante criticadas… só que as casas estão sempre lotadas, especialmente por adolescentes e casais com crianças pequenas. Então, veja bem: um lanche para um adulto sem muitas pretensões custa aproximadamente USD 6,00 e as célebres “caixinhas” para a criançada, USD 5,00.

  • Sorveterias:

Estamos na metade do verão, faz calor e Buenos Aires tem sorveterias por todas as partes. Quanto custa então dar uma paradinha numa delas e curtir um bom e clássico sorvete de doce de leite?

Casquinha: existem de vários tamanhos, mas a menorzinha sai a partir de USD 1,00. Já os potes de ¼ Kg, um dos favoritos dos argentinos custam, em média, USD 3,00.

Quanto gastar em Buenos Aires em 2016, sorvete (Foto: LWYang)

Transporte:

O transporte público de Buenos Aires tem fama de ser muito mais barato que no Brasil, mas o segredo é ter o cartão SUBE já que com ele os valores das passagens custam menos. Onde posso comprar um cartãozinho desses e inserir créditos para poder viajar pela cidade toda? Em todos os quiosques portenhos que tenham a plaquinha de SUBE na porta, bem simples.

  • Ônibus:

O meio de transporte mais econômico e utilizado em Buenos Aires.

A passagem com o cartão SUBE tem um custo médio de USD 0,25, que varia segundo o percurso realizado. O passageiro que não tiver o cartão deverá pagar o dobro. Não se esqueça de que para pagar a passagem dentro do ônibus é preciso ter moedas: a máquina não aceita cédulas.

  • Trem:

O serviço de trens de Buenos Aires tem melhorado consideravelmente nos últimos tempos, com a introdução de novas e modernas unidades. Limpeza, ar-condicionado, segurança e até pontualidade chamam a atenção daqueles passageiros acostumados com os antigos trens portenhos, principalmente nos diferentes ramais da Linha Mitre.

Uma viagem de trem com cartão SUBE custa, dependendo do trajeto, ao redor de USD 0,20. Você só precisa atravessar a catraca encostando o cartão no leitor eletrônico. Sem o cartão, USD 0,40 e os bilhetes devem ser adquiridos antes de embarcar.

  • Metrô:

Uma opção que, conhecendo de antemão as diferentes linhas e as possíveis combinações entre elas, permite atravessar a cidade com maior rapidez. Contudo, nas horas de pico costumam estar lotadérrimos: a dica é evitá-los nesses horários para poder viajar com um pouco mais de conforto (e de segurança também). Uma passagem de metrô vale apenas USD 0,35, muito menos que em SP ou RJ, por exemplo.

Quanto gastar em Buenos Aires em 2016, metrô (Foto: galio)

  • Táxi:

Como toda cidade grande, o centro de Buenos Aires parece ter mais táxis do que carros particulares. Será que ainda vale a pena pegar um desses veículos pretos com teto amarelo ou não? Confira os valores e se a sua resposta é sim, lembre-se de pegar os rádio táxis (aqueles que mostram o nome da empresa e o telefone) que são sempre mais seguros.

Consulte os preços dos melhores shows de tango de Buenos Aires e faça agora mesmo as suas reservas!!!

Inicialmente, na hora que o taxímetro é ligado você já começa pagando USD 1,20, antes do motorista engatar a primeira marcha. Depois, são USD 0,12 a cada 200 metros realizados. Das 22h às 6h os veículos circulam com bandeira dois (igual que no Brasil) e o acréscimo é de 20%.

Algumas dicas importantes que você não deve deixar de ler:

  1. A oferta gastronômica, principalmente no centro e micro centro portenho, é gigante. Você vai encontrar muitos lugares para comer, um do lado do outro e a diferença nos preços pode resultar considerável. Comece a pesquisa um pouco mais cedo porque vai levar tempo decidir onde comer!
  2. Como já informamos em outros artigos, muitos são os comércios da cidade que aceitam o pagamento em reais ou dólares. Porém, antes de entrar num bar ou restaurante pergunte se realmente eles aceitam moeda estrangeira e, o mais importante de tudo, qual é a cotação. Tal vez fique mais em conta trocar o seu dinheiro antes numa casa de câmbio e pagar a conta em pesos argentinos depois.
  3. A maioria dos locais gastronômicos costuma exibir uma lista de preços na entrada. Evite surpresas e aborrecimentos: confira com atenção os preços antes de entrar e fazer o seu pedido.
  4. Outra prática habitual é o chamado “serviço de mesa” que vem incluído na conta. Se você escolheu algum menu executivo ou promoção consulte se a taxa deve ser paga ou não.

E se você chegou até aqui, então não deixe de saber Quanto dinheiro levar para Buenos Aires em 2016 – O post definitivo!