El Zanjón de San Telmo

Passear por San Telmo com certeza figura no roteiro da maioria dos turistas brasileiros que visitam Buenos Aires. Suas ruas de pedra com calçadas estreitas, as lojas de antiguidades, os barzinhos, os restaurantes e a natural boêmia do local sempre resultam difíceis de resistir. Só que detrás de uma pesada porta de aço espera pacientemente uma atração que talvez seja desconhecida para muitos, inclusive os próprios portenhos: El Zanjón de San Telmo.

O Zanjón nada mais é que uma antiga mansão de mais de vinte quartos construída em 1830 no coração de San Telmo, o bairro mais antigo de Buenos Aires, mas que vem acompanhada de uma história interessante e bastante particular.

Segundo alguns historiadores foi nessa mesma região onde foi realizada a primeira fundação da cidade, embora até agora isso não esteja totalmente comprovado. Seja como for, o casarão (que na atualidade ainda ocupa boa parte do quarteirão) tinha um arroio subterrâneo que passava por baixo dos seus fundamentos: o arroio Terceiro, que anos depois foi entubado.

Booking.com

Esse trecho do riacho era chamado de El Zanjón de Granados, nome pelo qual o nosso ponto turístico de hoje também é conhecido.

Uma viagem ao colonial e desconhecido passado de Buenos Aires

Os primeiros donos foram uma opulenta família espanhola, que estava formada por cinco membros. Além das mordomias próprias da riqueza e de contar com os serviços de seis escravos, os proprietários usufruíam o fato de ter só para eles uma enorme cisterna de 18 mil litros: vendiam água potável ao resto dos vizinhos!

Só que por algum motivo desconhecido, as coisas foram mudando e o local se converteu num grande cortiço onde acabaram morando numerosas famílias de imigrantes em condições mais do que precárias. E até compartilhando um único banheiro. Uma cena meio assustadora, mas que resulta bem típica daquela época.

Porém, com o passar do tempo o charme original da casa foi se deteriorando. De fato, antes da finalização do século 19 caiu no mesmo abandono que caracterizou o bairro, ferozmente atacado pela febre amarela.

Passaram quase 100 anos até que em 1985 um cidadão bem-sucedido, chamado Jorge Eckstein (ou simplesmente Don Jorge), adquire a propriedade que se encontrava praticamente detonada. O objetivo inicial era converter tudo num local cultural e gastronómico. Desse jeito começava o lento processo de restauração e para isso o novo dono contou com o apoio incondicional da sua família.

El Zanjón de San Telmo 4

Só o planejamento e execução do sistema de ventilação (que funciona através dos ductos de arejamento dos elevadores) demandou quinze longos anos. Até que finalmente em 2003 El Zanjón de San Telmo abriu as suas portas pela primeira vez.

Basta atravessar a imponente porta de entrada para descobrir uma construção atraente e ao mesmo tempo intrigante. Foi mantido o original estilo colonial (com inconfundíveis toques da arquitetura italiana) combinado com novos elementos.

El Zanjón de San Telmo, porta de entrada

Por exemplo, os tijolos que foram utilizados inicialmente ainda estão presentes, junto com as marcas do reboco original que podem ser apreciadas nas altíssimas paredes dos pátios. Contudo, os pisos e a maioria das ferragens (como as grades das janelas e os corrimãos das escadarias) foram renovados e trocados por materiais novos.

Descendo ao porão podemos visualizar o labirinto formado pelos vários túneis e corredores que eram utilizados, dentre outras coisas, para estocar alimentos e vinhos (e quem sabe, como esconderijos!).

El Zanjón de San Telmo 3

Durante as diversas escavações realizadas foram achados numerosos objetos antigos e relíquias que agora são exibidos em diferentes pontos dos porões. Ou seja, aquilo que começou como uma ambiciosa obra de restruturação acabou virando um importante descobrimento arqueológico. De restaurante cultural a museu privado!

Consulte por outros passeios e atividades em Buenos Aires com os melhores preços do mercado.

Uma coisa que chama a atenção é o contraste produzido entre aqueles espaços da enorme mansão que conseguiram manter a estrutura original e os outros que foram visivelmente recondicionados. Com quatro séculos da história portenha ocultos detrás das suas paredes, El Zanjón representa sem dúvidas o lado de San Telmo, e de Buenos Aires, que poucos conhecem.

El Zanjón de San Telmo 2

As visitas guiadas são realizadas todos os dias menos aos sábados, têm uma duração de uma hora (de segunda a sexta) e de 40 minutos aos domingos. Confira os horários e preços de El Zanjón de San Telmo clicando aqui.

El Zanjón de San Telmo está localizado na rua Defensa 755 (entre a rua Chile e a Avenida Independencia), a mesma onde todos os domingos funciona a popular e colorida feirinha que é outro dos destaques do bairro.