Comidas típicas argentinas: as milanesas

Todo turista que visita Buenos Aires sabe que a especialidade ou destaque da culinária local nada mais é que a carne, principalmente o ultra famoso churrasco argentino. É encima disso que a gastronomia portenha está baseada.

Mas além da suculenta carne assada nas brasas com muita paciência, existe outro prato que não falta em nenhum cardápio. Seja nas casas de família, os restaurantes ou até em qualquer barzinho: as populares milanesas.

Só que existe um segredinho que muitos turistas (e até os próprios argentinos) desconhecem. Em realidade, não se trata de uma comida 100% nacional e pode ser encontrada em outros lugares do mundo mesmo que com nomes diferentes. Como assim?

Booking.com

A verdade da milanesa

A verdadeira origem das milanesas não está muito clara, então a paternidade desse bife fininho misturado com ovo e farinha de rosca está bem disputada ainda hoje. Para alguns entendidos pode ter vindo da Áustria, pois é uma variação direta do wiener schnitzel (simplesmente um dos pratos austríacos mais famosos).

Outros consideram que o mais provável é que tenha vindo da mão dos imigrantes italianos. Com algumas pequenas diferenças, sim, pois na Europa o mais comum é fazer as milanesas com carne de porco, que costuma ter um preço mais acessível que a carne de boi. Agora, o porquê do nome resulta ainda mais escuro: em Milão não existe um prato com esse nome (do mesmo jeito que também não existe em Nápoles a pizza napolitana!).

E para acrescentar ainda mais as dúvidas, outra curiosidade: até o Japão tem uma versão própria da milanesa (o chamado tonkatsu), geralmente feita com carne de porco.

Milanesas, tonkatsu

Sem se preocupar muito com os problemas de autoria nem pelo seu lugar de nascimento, a milanesa acabou se tornando um elemento chave na cozinha de Buenos Aires e atualmente é uma das comidas típicas argentinas mais apreciadas.

O tipo de carne utilizado geralmente é o coxão mole, mas as milanesas também podem ser feitas com patinho ou ainda lagarto redondo (tatú, se você mora no sul brasileiro). E ainda pode ser empregado o peito de frango, uma opção um pouquinho mais light.

Na verdade é um prato mais do que simples, mas que nenhum chef pode desafiar e assim resiste tranquilamente às inovações da cozinha moderna.

Comidas tipicas argentinas, as milanesas (Foto: juangeracaris)

O acompanhamento de lei são as batatas fritas (nesse sentido os portenhos talvez não tenham muita imaginação, mas é o gosto local e não dá para fazer muita coisa nesse sentido). Outra opção muito pedida é a milanesa com puré de batatas, ou a milanesa completa com ovos fritos (proibido lembrar-se do colesterol). O que nunca deve faltar é o limão, um elemento chave que acentua o particular sabor.

Para os mais exigentes: milanesa à napolitana, a versão portenha do querido filé à parmegiana brasileiro. O nome surgiu na antiga pizzaria Napoli onde, por acidente, a milanesa à napolitana foi feita pela primeira vez.

Milanesas Napolitanas (Foto: deramaenrama)

Já os mais apressados podem curtir o não menos tradicional sanduiche de milanesa. Assim como no Brasil qualquer lanchonete razoável deve ter um bom pão de queijo ou uma irresistível coxinha, não existe barzinho em Buenos Aires que não tenha o popular sanduiche entre seus oferecimentos. E se não tiver, melhor cair fora.

3 lugares em Buenos Aires para comer boas milanesas

Fica difícil escolher somente uns poucos lugares para desfrutar as bondades de uma tentadora milanesa, já que se trata de um elemento presente em todos os cardápios não só de Buenos Aires, mas também da Argentina. Realmente a escolha é muito pessoal, mas o nosso Top 3 é o seguinte:

El Club de la Milanesa:

Com mais de uma dúzia de locais espalhados pela cidade toda (Barrio Norte, Palermo, Recoleta, Belgrano e até a Zona Norte) e uma grande variedade de sabores, o Clube é um dos prediletos na hora de escolher uma boa milanesa.

Pizzaria La Farola:

A conhecida rede de pizzarias não fica atrás e as suas milanesas são de um tamanho simplesmente impressionante. O preço pode parecer salgado, só que é necessário lembrar-se de uma coisa: em qualquer Farola o prato pode satisfazer tranquilamente duas ou três pessoas. Algumas das filiais são:

  • La Farola de Santa Fe (Santa Fe 1857).
  • La Farola de Palermo (Scalabrini Ortiz 1171).
  • La Farola de Villa Crespo (Corrientes 5701).
  • La Farola Abasto (Corrientes 3500).

Albamonte:

Muitos acham que os melhores lugares para comer na terra do tango continuam sendo os bodegones ou bem os restaurantes de bairro. Cada um dos 48 bairros portenhos tem o seu e Albamonte, localizado na Avenida Corrientes 6735 (no bairro de Chacarita) não é a exceção. A especialidade da casa é a comida portenha tradicional, então as milanesas (em todas as suas variações) não podem faltar.  Imperdível.