Checklist antes de viajar a Buenos Aires: 11 coisas que você não pode esquecer nunca

Pode se tratar de marinheiros de primeira viagem, passageiros frequentes ou aqueles viajando a trabalho, tanto faz. Quando estamos prestes a viajar precisamos um pouco de concentração e cuidar de todos os detalhes. Ou pelo menos dos pontos mais relevantes, esses que se forem esquecidos podem comprometer seriamente a nossa viagem.

Pensando nisso criamos uma checklist antes de viajar a Buenos Aires que pode ser de muita utilidade para você. Leia e verifique cada passo atentamente e curta uma viagem tranquila e sem surpresas…

Checklist antes de viajar a Buenos Aires, Plaza de Mayo

Booking.com

1 – Documentação

Vai utilizar o passaporte brasileiro ou simplesmente o RG? Saiba que são os dois únicos documentos válidos para entrar no território argentino. Não adianta mostrar a Carteira de Motorista ou o CPF. O negócio é muito óbvio: sem documento de identidade ninguém pode viajar.

Quem for viajar com crianças ou menores de idade, prestar muita atenção! Se o menor viaja com os dois pais só precisa do seu documento de identidade. Se for viajar somente com um deles será obrigatória a apresentação de uma autorização do pai que não estiver viajando. Para maiores informações confira que documentos são necessários para viajar à Argentina.

2 – Passagens

Fazer o check-in online pode ajudar a ganhar tempo. Nos últimos tempos o processo se agilizou bastante. Mas entenda que se viaja com bagagem que precisa ser despachada vai ter que enfrentar a fila de qualquer jeito. Contudo, certifique-se de estar levando o detalhe de voo com os seus dados e o localizador da reserva. Pode ser em papel ou ainda salvo em algum dispositivo móvel (smartphone ou tablet). A querida e às vezes temida tecnologia pode facilitar as coisas!

3 – Dinheiro e cartões

Pensa em levar dólares, comprar pesos argentinos ou viajar somente com reais brasileiros? Antes de tomar uma decisão é bom você ler o nosso artigo Que moeda levar para Buenos Aires hoje. E os cartões de crédito, será que valem a pena? Ter as duas possibilidades (dinheiro em espécie e cartões) é o mais conveniente, oferecendo maior segurança. Se uma delas falhar, a outra pode resolver a situação.

Muito importante: não se esqueça de que os cartões deverão ser de uso internacional e desbloqueados antes de viagem. Consulte com o gerente do seu banco alguns dias antes de sair do Brasil.

4 – Hospedagem

Dificilmente alguém viaje de férias a Buenos Aires sem ter acertado previamente a hospedagem. Até mesmo se você for mochileiro!

  • Saiba onde está localizado seu hotel ou apart-hotel, não só o endereço mas também a região.
  • Conheça os horários de check-in e check-out. Muitos hotéis são flexíveis com os horários de entrada e saída, mas isso depende da disponibilidade dos mesmos. E com certeza, da boa vontade dos funcionários.
  • Leve o voucher com a confirmação da reserva ou tenha os dados salvos em formato digital (de novo a tecnologia).

5 – Bagagens

O que levar na mala de viagem pode ser um dos maiores enigmas. E o que NÃO levar na mala é ao mesmo tempo uma das coisas mais ignoradas pelos turistas. Confirme com a sua companhia aérea o número de malas, peso máximo e bagagem de mão permitida. Ficar sabendo disso tudo no balcão de atendimento no dia do voo não é uma das melhores experiências. E na fila do detector de metais… menos ainda! Invista um pouco de tempo para se informar bem e evite dores de cabeça.

Checklist antes de viajar a Buenos Aires

Quer uma dica que eu mesmo utilizo antes das minhas viagens? Pois não. Faça uma relação com todos os pertences que você irá utilizar: roupa, calçado, produtos de higiene pessoal, e tudo mais. Inclua ainda documentos, dinheiro e cartões que você logicamente vai levar consigo (nos bolsos, carteira ou bolsa). Duvido se hoje em dia alguém vai esquecer do celular, mas não deixe de colocar na lista o carregador!

Dicas antes de viajar: como são as tomadas elétricas em Buenos Aires

Pode ser uma simples folha de papel ou, no meu caso, um arquivo de Excel. A finalidade é a mesma: não esquecer absolutamente nada. E posso garantir que dá certo num 99,9%. Geralmente, só deixo de levar aquilo que não coloquei na minha própria checklist!

6 – Traslados até o aeroporto

Decida com tempo suficiente como vai ser o traslado desde a sua casa até o aeroporto. A escolha é totalmente sua: táxi, transfer executivo, ônibus, carona de um amigo ou parente, etc. Mas não saia encima da hora que os imprevistos acontecem quando temos pouco tempo! Chegue ao aeroporto com a devida antecedência (duas horas pelo menos).

Esses seis primeiros pontos da nossa checklist antes de viajar a Buenos Aires são fundamentais. Se um ou mais itens estiverem faltando isso indicará que podemos estar em problemas!

Mas ainda temos outros aspectos que requerem toda a nossa atenção. Veja a seguir…

7 – Traslados desde o aeroporto de Buenos Aires até o hotel

Chegar a Buenos Aires e não saber como ir até seu hotel não é precisamente o mais recomendável. Ainda dentro do aeroporto você encontrará os balcões de várias empresas de transfer. Aceitam pesos, reais, dólares e até cartões de crédito. Peça um orçamento sem compromisso em cada guichê e confira os valores antes de tomar uma decisão.

Tentar negociar com os motoristas de táxi que estão fora do aeroporto é mais arriscado. Faça isso só se você for craque na arte das negociações e se conhece bem o trajeto e as distâncias. Se não, evite transtornos e pegue um remise. Já vai ter a chance de fazer um city tour personalizado com mais tranquilidade e dedicação!

Descubra as principais opções de traslados desde os aeroportos de Buenos Aires.

8 – Onde trocar dinheiro em Buenos Aires

Outro ponto que você já deve ter decidido de antemão. Nós sugerimos, sempre que seja possível, levar uma pequena quantia em pesos argentinos para as primeiras despesas. Podem ser comprados no Brasil (se a cotação for razoável) ou adquiridos assim que chegar em solo portenho. Os dois aeroportos têm no seu interior agências de câmbio. Depois disso, o assunto é com você: câmbio oficial, câmbio paralelo ou pagar diretamente com reais.

9 – Passeios e espetáculos

Contratar previamente os passeios e shows de tango com empresas sérias tem as suas vantagens. Nada contra o que é oferecido na rua: não dá para dizer que tudo seja uma furada ou não. Tem de tudo.

Porém, contratar atividades turísticas com desconhecidos às vezes pode ser perigoso. É fácil prometer muito por pouco dinheiro e depois não temos com quem reclamar. O que parece ser uma mão na roda acaba sendo um tiro no pé.

Checklist antes de viajar a Buenos Aires, Puerto Madero

Consulte por passeios, traslados, shows de tango e outras atividades turísticas em Buenos Aires com os melhores preços do mercado!

10 – Roteiro

Ter um roteiro definido é uma ótima maneira de economizar tempo e dinheiro. Mesmo sendo a sua primeira vez em Buenos Aires, tente organizar as suas atividades da melhor forma possível. No blog temos inúmeras dicas sobre passeios, espetáculos e pontos turísticos ao seu dispor. Desse jeito poderá aproveitar as suas férias ao máximo, principalmente se estiver visitando a cidade por poucos dias!

11 – Traslados desde o hotel ao aeroporto

Após alguns dias em Buenos Aires você já terá conhecimento que chega para decidir como voltar ao aeroporto. Lembre-se que a distância entre o centro portenho e o Aeroporto de Ezeiza é de uns 40 quilômetros. Já o Aeroparque está muito mais próximo, apenas sete quilômetros.

Mas estamos numa cidade grande, com trânsito congestionado e aqueles piquetes e manifestações que sempre atrapalham. Não caia numa cilada: agende o seu transfer com uma margem de tempo ampla. Novamente, o que escolher depende de você: táxi, remise, Uber, ônibus, etc. Chegar duas horas antes ao aeroporto, além de ser uma exigência das linhas aéreas, é uma necessidade.

Uma cena muito comum nos aeroportos é chegar e ter dois voos da mesma empresa quase no mesmo horário. Tecnicamente, em aeroportos pequenos não é uma boa ideia, mas por diferentes motivos às vezes acaba acontecendo.

Aí chegamos muito confiados e com pouco tempo para fazer o check-in (ou apenas despachar as malas). O que encontramos? Uma fila quilométrica que não quer avançar. O pior de tudo é que essa mesma gente vai estar na nossa frente na fila de migrações. E boa parte dessas pessoas vai estar também no Free Shop e nas cafeterias da sala de embarque.

Moral da história: chegue cedo no aeroporto (o preço é o mesmo e não dói tanto assim) e evite perdas de tempo desnecessárias. Para muitos, o tempo vale ouro e provavelmente para você também!