[6 dicas imperdíveis] Como não passar perrengue em Buenos Aires

Já está com tudo pronto para viajar e conhecer de vez Buenos Aires? As passagens, hospedagem, traslados e atrações turísticas já foram reservados? Ótimo, mas não será que ainda falta dar uma olhada em alguns detalhes que podem trazer uma dor de cabeça? Se a resposta e sim talvez seja hora de você saber como não passar perrengue em Buenos Aires. Exatamente: estamos falando dessas coisas pequenas que podem provocar um transtorno ou confusão nas suas férias.

1 – Ônibus

O transporte público em Buenos Aires é bastante eficiente e econômico, mesmo depois dos últimos aumentos nas tarifas. Logo, resulta uma das opções mais em conta para circular livremente pela cidade (principalmente o ônibus). Porém, para não dar vexame você precisa saber alguns segredinhos.

Como não passar perrengue em Buenos Aires, ônibus (Foto: Barcex)

Booking.com

Para começar, nada de querer subir pela porta traseira. Muito menos procurar o trocador e pretender atravessar a catraca, porque simplesmente não tem. Os ônibus portenhos possuem duas ou três portas, mas os passageiros devem subir unicamente pela porta dianteira. As portas restantes só servem para descender do veiculo e mais nada.

E na hora de pagar, o que fazer se não há trocador? Você sobe pela porta da frente, como já acabamos de falar e precisa indicar ao motorista o seu destino. Ou ainda o valor da passagem, se souber. Em seguida, é necessário o cartão SUBE para pagar a viagem. Os cartões podem ser comprados e recarregados nos inúmeros quiosques da cidade. Pronto, um problema resolvido!

2 – Idioma

Para surpresa de muitos portenhos, cada dia é maior o número de brasileiros que falam espanhol. Em Buenos Aires também é possível achar muita gente falando, ou tentando falar português (principalmente nas ruas Lavalle e Florida).

Como não passar perrengue em Buenos Aires

Contudo, se o seu conhecimento da língua espanhola é escasso e não tem muita coragem de tentar o portunhol, cuidado! Há uma série de palavras que soam igual em ambos os idiomas, mas com significados diametralmente opostos. Para não pagar o mico leve em consideração o seguinte listado com dez palavras para prestar bastante atenção.

Português Espanhol
Esquisito Delicioso
Pelado Careca
Tarado Bobo
Propina Gorjeta
Mala Ruim (feminino)
Borracha Bêbada
Cena Jantar
Largo Comprido
Surdo Canhoto
Vaso Copo

São palavras comuns, que se escrevem igual ou quase… mas com significados bem diferentes!

3 – Tomadas elétricas

Além de ter uma voltagem diferente de muitos estados brasileiros (220 V), a energia elétrica argentina traz mais uma surpresa. Qual? As tomadas elétricas, esses elementos cada dia mais indispensáveis no nosso dia a dia. Não viaje sem antes dar uma conferida nos modelos nem no tipo de voltagem que Buenos Aires tem. O formato argentino é diferente e se você não providenciar um adaptador, a coisa vai ficar escura… literalmente.

Como não passar perrengue em Buenos Aires, tomadas elétricas

4 – Gorjetas

As benditas gorjetas (que agora você já sabe que são chamadas de propina) são outro motivo de confusão. Quando e quanto dar de gorjeta para deixar os garçons tranquilos e com cara de bons amigos?

Como não passar perrengue em Buenos Aires, gorjeta

Para começar, a gorjeta não é obrigatória: muito pelo contrário. O seu pago nada mais reflete o grau de satisfação do cliente pelo serviço ou atendimento recebido. Quanto devemos deixar de gorjeta, então? O acostumado é o 10% do total da conta, mais ou menos. Não confundir com a taxa de serviço, que tem um valor fixo, e está incluída na notinha. São duas coisas diferentes e a gorjeta você só paga se quiser, seja num barzinho ou num show de tango.

Consulte por passeios, traslados, shows de tango e outras atividades turísticas em Buenos Aires com os melhores preços do mercado!

5 – Clima

Um assunto que não deve ser esquecido nem menosprezado. Quem mora no norte do Brasil talvez pense que Buenos Aires não seja tão quente assim. E tem quem viaja desde o sul brasileiro que ainda ache que o frio portenho não é aquela coisa toda. Os dois pensamentos podem ser arriscados: a cidade é bem quente no verão e no inverno fica bastante fria. A dica é não se confiar muito e levar roupa suficiente na mala para diversas situações. Para isso, nada melhor do que desvendar os mistérios do clima de Buenos Aires, mês a mês.

Como não passar perrengue em Buenos Aires, clima (Foto: blmurch)

6 – Táxis

Quem gosta de pegar um táxi numa cidade desconhecida e acabar pagando muito a mais pela corrida? Com certeza, ninguém. Eu mesmo já passei por isso e em países bem mais civilizados como os Estados Unidos ou a Bélgica. Espertinhos no volante sempre existem e Buenos Aires não é a exceção. Só que existem várias maneiras de evitar esse contratempo e pagar apenas um valor justo pela viagem realizada.

Como não passar perrengue em Buenos Aires, táxis (Foto: Jon Gilbert Leavitt)

  • Traslados: uma solução pode ser contratando um remise diretamente nos balcões do Aeroporto de Ezeiza ou Aeroparque. Você paga antes de começar a viagem um preço que já está tabelado (incluindo pedágios). Ou também contratando online com empresas responsáveis: é só chegar e já vai ter alguém lhe esperando. Basta procurar aquelas famosas plaquinhas com o seu nome…
  • Na rua: aqui temos duas alternativas, o Uber ou o Rádio Táxi. O polêmico sistema de carros online pode ser uma verdadeira mão na roda (ou nas quatro, no caso). Do mesmo jeito que no Brasil, e com o mesmo aplicativo, você contrata o serviço desde o seu celular. Os preços são interessantes e o usuário tem a certeza de pagar o preço combinado com cartão, ou em espécie. Já o Rádio Táxi são aqueles que levam a placa com o nome da empresa e o telefone. Sempre que puder, escolha um desses quando estiver na rua: são mais seguros e confiáveis que os táxis convencionais.