Usina del Arte, o lado cultural de La Boca

Faz algumas semanas fomos visitar a Usina del Arte, justamente um sábado à tarde (no horário habitual das visitas guiadas). Mas nesse mesmo dia era realizada a Noite dos Museus e as atividades haviam sido modificadas por causa desse evento. Contudo, levamos bastante sorte e fomos muito bem atendidos por Liliana, uma das guias do lugar, quem fez questão de mostrar para nós um pouquinho da história e o funcionamento da Usina, além de um rápido passeio pelo imenso local. Ou seja, ganhamos um mini tour personalizado e aproveitamos esse post para agradecer novamente a gentileza da Liliana. Valeu pelo atendimento!

Uma atividade que sempre está em marcha em Buenos Aires e nunca para é a de reciclar espaços que se encontravam perdidos ou esquecidos. O popular e pitoresco bairro de La Boca não escapa dessa regra e a poucas quadras do famoso estádio La Bombonera (do Boca Juniors, atual campeão do futebol argentino 2015), funciona a Usina del Arte.

Na primeira década do século XX foi construída uma poderosa usina que produzia e abastecia de energia toda a cidade de Buenos Aires e que levou o nome de Ítalo Argentina.  A monumental obra de estilo florentino foi dirigida pelo arquiteto italiano Giovanni Chiogna e começou em 1914, sendo inaugurada dois anos depois. Porém, a sua finalização levou mais alguns anos e as últimas reformas foram feitas ainda em 1926, com a construção da bela torre – relógio da entrada.

Booking.com

No interior, as grossas e altíssimas paredes dão a sensação de estar dentro de uma fortaleza: tudo bem pesado conforme o estilo arquitetônico da época, com pedra cinza, granito e grandes tijolos.

O óleo diesel que alimentava a enorme usina chegava trazido por vagões provenientes do porto de Dock Sud, na Zona Sul de Buenos Aires. Na entrada principal ainda dá para ver os antigos trilhos de trem. Depois se modernizou: foram colocadas tubulações e o combustível chegava diretamente através delas.

Usina del Arte, torre - relógio

Com o passar dos anos, sofreu o efeito das privatizações e acabou fechando as suas portas em 1997. Mas não por muito tempo.

A Usina na atualidade: de prédio abandonado a centro cultural

Após ter ficado abandonada durante alguns anos, a Usina del Arte foi redescoberta. Voltou a funcionar pela ação do então Governo da Cidade (quem adquiriu o prédio já em avançado estado de deterioro) e ganhou um lugarzinho de destaque dentre os novos pontos turísticos portenhos. Virou um complexo artístico inteligente e foi rebatizada inicialmente como a “Usina das Ideias”, para posteriormente trocar pelo nome atual (em 2012).

Usina del Arte

Os dois blocos principais do prédio são as chamadas Nave Um e Nave Dois e foram recondicionados pensando nas atividades artísticas que iam se desenvolver futuramente. O maior destaque é a Sala Sinfônica com capacidade para mais de mil pessoas. Sobressai por possuir um design acústico de altíssimo padrão e que ganhou o reconhecimento dos mais destacados artistas que já se apresentaram nela. A Usina del Arte conta também com uma Sala de Câmara para quase 300 pessoas e uma sala de cinema.

Usina del Arte, mostras

Atualmente apresenta as mais variadas manifestações culturais. O que podemos encontrar? Muitas coisas, para todos os gostos e até com opções gratuitas. O que mais predomina é a música, com numerosas apresentações de jazz, música sinfônica, orquestras de Tango, música contemporânea e ainda festivais de música de outros países. A Orquestra Filarmónica de Buenos Aires costuma se apresentar na Usina del Arte com frequência.

Consulte por passeios, traslados, shows de tango e outras atividades turísticas em Buenos Aires com os melhores preços do mercado!

Além da música, também são realizadas diversas mostras e exposições de esculturas e a exibição de obras de teatro. Por último, também é possível conhecer o interior da Usina através das visitas guiadas que mencionamos no começo do artigo, e que são organizadas normalmente durante os finais de semana e feriados das 11h às 17h.

Usina del Arte, entrada principal

La Boca, o bairro das cores azul e amarela, não acaba em Caminito ou Vuelta de Rocha. Muito pelo contrário. Não é a toa que a parada de número 6 do Buenos Aires Bus esteja numa das entradas da Usina del Arte (e em frente da popular churrascaria El Obrero). Um espaço resgatado do abandono e que permite mostrar diferentes exemplos da cultura de Buenos Aires.

Para chegar desde o centro basta pegar os ônibus das linhas 29, 33, 64, 130, 152 ou 168. O endereço é Caffarena 1, esquina com a Av. Pedro de Mendoza.11