Traslados em Buenos Aires: 5 coisas que você precisa saber

Um assunto bem importante, delicado e que gera muitas dúvidas nos turistas é em relação aos traslados em Buenos Aires. Nada melhor que chegar ao aeroporto e ter um carro com motorista esperando por nós, sabendo que vamos chegar ao nosso hotel ou apartamento com segurança, conforto e pagando um preço justo.

Mas antes disso, é necessário desvendar alguns itens que às vezes estão meio escuros e que atrapalham na hora de fazer uma escolha. É realmente necessário contratar um transfer? Como devo pagar… em reais, pesos ou dólares? O táxi não é mais barato? Essas e outras dúvidas você poderá esclarecer agora mesmo no seguinte artigo. Vamos começar…

Entender a diferença entre táxi e remise

Em primeiro lugar é necessário entender a diferença entre os dois serviços de transporte particular de passageiros mais habituais na capital portenha: o táxi e o remise.

Booking.com

O táxi é aquele que todos conhecemos: coloridos (pretos com teto amarelo), com plaquinha, relógio e motoristas de toda classe (honestos, indiferentes ou espertos). Os perigos de pegar um táxi na saída dos aeroportos já são conhecidos pela maioria dos brasileiros que viajaram alguma vez para Buenos Aires. Existe de tudo, embora nunca seja bom generalizar. Mas os riscos existem, sim.

Traslados em Buenos Aires, táxi

Eu mesmo já levei um passeio de motorista de táxi inescrupuloso em várias cidades do mundo: Rio de Janeiro, Nova York e até em Hamburgo, na Alemanha. Posso dizer que é um problema internacional, mas aqui, nessa parte da América do Sul as coisas costumam se intensificar.

O remise é um carro particular convenientemente habilitado para transportar até quatro passageiros e o valor da viagem é combinado previamente. Calcula-se pelos km de distância, mas a partir daí nada mais vai mudar. Se o motorista decidir fazer um caminho alternativo ou se ficar preso no meio de um engarrafamento, o preço da viagem continua o mesmo já que não é utilizado o taxímetro. Com o trânsito portenho do jeito que está e ainda numa hora de pico, pode ser uma boa vantagem.

Você viaja em grupo ou a sua família está composta por mais de quatro membros? Sem estresse: qualquer empresa competente disponibiliza nesse caso veículos maiores (vans) quando os passageiros são mais de cinco e até possuem motoristas bilíngues.

Conhecer a localização de ambos os aeroportos

O aeroporto de Ezeiza é o maior e está mais distante do centro de Buenos Aires: 32 km. É o ponto de chegada e partida tanto de voos nacionais como também da maioria dos voos internacionais. Embora existam outras formas para ir desde o aeroporto até o centro, dependendo do horário, o número de malas e o cansaço acumulado após uma longa viagem, contratar o seu traslado previamente pode valer muito a pena.

Traslados em Buenos Aires, Ezeiza

Já o Aeroparque Jorge Newbery encontra-se muito mais próximo do micro centro, aproximadamente uns 8 km do Obelisco. Desse jeito, você pode ter mais opções na hora de ir até o seu hotel e logicamente a viagem acaba sendo mais econômica.

Quando vale a pena contratar um traslado com antecedência

Chegar ao aeroporto e ter um carro aguardando por você é sempre a opção mais segura e confortável. Você tira da cabeça toda essa preocupação de achar um meio de transporte na hora da chegada, ter que acertar o preço (e o tipo de câmbio conforme a moeda que for utilizar) e ainda não correr o perigo de ser levado por pontos da cidade que não são precisamente do seu interesse. Só que antes de contratar é bom fazer uma pesquisa e logicamente escolher agências ou companhias sérias.

Um detalhe mais do que importante: confira se o serviço contratado inclui o traslado ida e volta ou não. Não se deixe levar só pelo valor a ser pago… muitos preços baixos só incluem uma parte do trajeto (a ida ou a volta) ou ainda não têm inclusos os pedágios.

Os diversos tipos de câmbio

Uma questão que pode provocar as maiores confusões na hora de contratar os seus traslados em Buenos Aires. Os preços que estejam em pesos argentinos deverão ser transformados ou calculados em moeda estrangeira e vice versa. Até aí, tudo bem.

O que muitas pessoas não entendem é que quando um turista estrangeiro desembarca em Buenos Aires e não traz pesos, dificilmente vai achar algum serviço de transfer pela cotação do câmbio paralelo (e se achar, melhor suspeitar um pouco). Desse jeito, as tarifas se prestam a numerosos equívocos e fica complicado determinar se é caro ou barato.

Traslados em Buenos Aires

Nos balcões de atendimento dentro do aeroporto, os preços em pesos estão convertidos em dólares ou reais mais ou menos pelo câmbio oficial. Enquanto isso, os serviços contratados online podem oferecer as tarifas por uma cotação mais conveniente e ainda serem pagos diretamente em reais. Mas é pouco provável que você possa encontrar traslados em Buenos Aires pelo mesmo tipo de câmbio que os cambistas da calle Florida oferecem. E se achar, antes de fazer nada melhor leia o quinto e último ponto deste post:

Que cuidados tomar com aqueles serviços muito mais baratos

O grande aumento da atividade turística em Buenos Aires provocou nos últimos anos a aparição de um monte de “novas empresas” oferecendo uma enorme variedade de serviços aos turistas que visitam a cidade. É bom saber que nem todos eles podem estar devidamente credenciados para exercer a função. No final das contas, o turismo é uma atividade profissional e vai muito além de querer ser agradável e útil com os visitantes. Ou seja, não dá para virar “guia turístico” da noite para o dia.

Consulte aqui por passeios e outras atividades turísticas em Buenos Aires com preços bem em conta!!!

Um dos principais perigos dos motoristas improvisados é a falta de um seguro contratado para transportar passageiros. Detalhe fundamental e que todo veículo que traslade passageiros tem a obrigação de possuir. Isso logicamente tem influencia no preço do traslado e você paga também por isso.

Dedicar um tempinho a estudar o assunto dos traslados em Buenos Aires pode significar bastante e garantir que as suas férias não sofram inconvenientes.  Comece com o pé direito!