Que moeda levar para Buenos Aires hoje

Nas últimas semanas, uma dúvida apareceu no pensamento da maioria dos turistas que pensam viajar em breve para Buenos Aires: que moeda levar? É a pergunta que mais recebemos no blog por parte dos nossos leitores, que preocupados, não sabem com certeza o que fazer.

O que até agora já era um assunto meio complicado por causa das diversas dificuldades que a Argentina apresenta em relação ao câmbio, piorou de vez com a aparição de um novo transtorno.

A forte desvalorização do Real tem como resultado um aumento mais do que considerável das moedas estrangeiras. Principalmente o dólar: desde outubro do ano passado até agora, a divisa americana se valorizou em aproximadamente 35%.

Booking.com

Uma atividade nova para o turista brasileiro é acompanhar as cotações do mercado de câmbio, questão que até pouco tempo atrás, era só coisa de economistas, investidores ou de alguns poucos curiosos. Diferente dos argentinos, que encontram no dólar americano uma segunda moeda, mais forte e confiável que a local. Nove de cada dez portenhos sabem quanto custa um dólar.

A fortaleza que o Real teve nos últimos anos, e que permitiu que muitos brasileiros pudessem viajar em condições bem favoráveis, parece ter se enfraquecido. Pelo menos por enquanto.

Só que agora isso afeta, e muito, a vida de milhares de turistas que têm viagem marcada ou planejam viajar logo. Nesse artigo vamos lhe mostrar que moeda levar para Buenos Aires e poder assim sair da encruzilhada.

Que moeda levar para Buenos Aires

Traslados

Os traslados se apresentam como o primeiro obstáculo que deve ser enfrentado chegando a Buenos Aires. Como pagar o táxi, remise ou ônibus desde o aeroporto até o hotel? O mais recomendável e prático é contratar o traslado online, sempre que possa ser pago em Reais desde o Brasil, e se despreocupar por completo desse assunto. A primeira despesa pode ser resolvida sem sair ainda de casa.

Veja também o artigo Traslados desde os aeroportos de Buenos Aires para mais informações.

Com certeza, as agências de táxis e remises no aeroporto de Ezeiza e no Aeroparque aceitam moeda estrangeira (dólares, euros e reais) para pagar os serviços que oferecem. Só que geralmente, para não dizer sempre, a cotação vai ser a oficial ou bem perto dela. E pegar um táxi fora do aeroporto pode representar sempre certo perigo, mais ainda para quem não conhece bem a cidade.

Dólar, Real ou Peso?

Se você é um desses felizardos que por diferentes motivos andou guardando dólares nos últimos tempos, saiba que está de parabéns e não vai ter que se preocupar muito. As verdes cédulas provenientes da terra do Senhor Obama são as mais procuradas e a melhor recebida na terra dos portenhos. Agora, se esse não for o seu caso não adianta sair correndo e comprar dólares agora. No patamar atual, não vale muito a pena.

Trazer alguns pesos argentinos desde o Brasil para poder pagar os primeiros gastos ao chegar a Buenos Aires sempre é a nossa recomendação. Mas a cotação da moeda argentina nas casas de câmbio brasileiras costuma ser diferente da oficial, e com um Real desvalorizado, hoje em dia é necessário fazer bem as contas para não perder dinheiro.

Que moeda levar para Buenos Aires, reais

Desse jeito, e sem muitas mais opções, o melhor a se fazer em agosto de 2015 é levar Reais. Você pode trocá-los por pesos argentinos, ou pagar diretamente com eles em muitos lugares da cidade. Só que antes disso é preciso conferir o câmbio oferecido (lojas, restaurantes e passeios costumam oferecer cotações mais altas que as casas de câmbio, porém inferiores ao mercado negro).

Cartão de débito ou crédito?

Em épocas de estabilidade, o uso dos cartões de débito e crédito facilita muito a vida do turista. Mesmo com a bendita taxa de 6,38% do IOF e alguma outra que o seu banco insista gentilmente em aplicar.

Contudo, considerando a incerteza de quanto vai custar o dólar no dia do encerramento da conta, utilizar o cartão de crédito é bastante arriscado. Já com o de débito as coisas mudam um pouco, pois seja qual for a operação (compra ou saque de caixa eletrônico) o valor é debitado da sua conta na hora e se baseia na cotação do dia. Basta ficar de olho na situação do mercado (mais ainda?) e ver se vale a pena ou não. Do jeito que estão as coisas, são dois recursos que devem ser colocados na prática só se existir realmente a necessidade.

Entenda como usar o cartão de crédito ou débito no exterior.

Onde devo trocar os meus Reais, nas casas de câmbio ou no mercado negro?

Essa é uma pergunta que só você pode responder. O método legal, seguro e recomendado sempre são os bancos ou as casas de câmbio autorizadas. Os famosos cambistas de rua (que já são parte do folclore portenho) e as agências que aparecem nas redes sociais pagam bem mais, só que o risco também pode estar presente. Os comércios dificilmente trocam dinheiro, mas costumam aceitar o pagamento em Reais e por um valor intermediário. Em tempos difíceis tudo serve.