Percorrendo a cidade com o Buenos Aires Bus, parte 1

Quem já visitou Buenos Aires provavelmente tenha visto um ônibus amarelo de dois andares circulando pelas transitadas ruas da cidade, com um monte de turistas encima batendo fotos animadamente. É o Buenos Aires Bus, um serviço que permite conhecer os principais pontos de visitação portenhos sem sair da sua poltrona.

Faz algumas semanas começamos a viagem pontualmente às 9.00h na Parada 0, em Roque Saenz Peña 728 (Diagonal Norte). Os bilhetes podem ser comprados online, no local ou no ônibus e dependendo da escolha do passageiro, podem ter uma validade de 24 ou 48 horas.

O passeio do busão, que atravessa 25 pontos espalhados estrategicamente entre os principais lugares da cidade, não se suspende por chuva. Mesmo sendo chamadas de Bus Aberto, algumas unidades possuem teto de lona: um detalhe bem conveniente nos dias de sol ou se uma pouco oportuna chuva começar a incomodar.

Booking.com

Buenos Aires Bus, interior

Na entrada você pega os fones de ouvido que permitem fazer uso do sistema automatizado com informações pré-gravadas em inglês, espanhol, português, francês e alemão. Quando as informações param, seguem como fundo algumas músicas tradicionais.

Buenos Aires vista desde o ônibus

O primeiro que encontramos no trajeto é a Plaza de Mayo, cercada pelo Cabildo, a Catedral e, claro, a Casa Rosada (a Casa de Governo). Enquanto o Buenos Aires Bus vai circulando em redor da Praça, você vai escutando informações e detalhes dos diversos lugares. E ao mesmo tempo, uma tela localizada na frente do ônibus exibe imagens relacionadas.

Buenos Aires Bus, Cabildo, Plaza de Mayo

Continuando pela Avenida de Mayo, passamos pelo famoso Café Tortoni para depois atravessar a Avenida 9 de Julio (a mais larga do mundo). O próximo destino é o Congresso Nacional, mas durante o caminho é possível visualizar o Café 36 Billares (um dos Cafés e Bares Notáveis de Buenos Aires e que foi reinaugurado recentemente) à direita e o imponente Palácio Barolo, à esquerda. É bom ressaltar que na Plaza del Congreso está estabelecido o KM 0, ponto de partida e referência de todas as distancias portenhas.

Durante a semana o tráfego é bastante intenso, então o retorno pela Avenida Belgrano é devagar.  Depois de passar pelo Departamento de Polícia Federal e a Igreja de Santo Domingo, o bus continua pela Avenida Paseo Colón, circulando por San Telmo, Parque Lezama (lugar escolhido por Pedro de Mendoza para o primeiro assentamento na cidade, em 1536). Já levamos uma hora desde que saímos do ponto inicial!

O colorido de La Boca, azul e amarelo

O seguinte destino é o bairro de La Boca, onde funcionou o primeiro porto de Buenos Aires. Foi o local de entrada dos numerosos imigrantes europeus no começo do século XX. O museu a Usina del Arte, o Corpo de Bombeiros de La Boca e La Bombonera, o estádio do time de futebol Boca Juniors, são alguns dos lugares que você pode apreciar desde o seu assento.

Buenos Aires Bus, La Boca, La Bombonera

O ônibus faz uma paradinha de 10 minutos: uma escala técnica para os passageiros se abastecerem de água mineral ou café no Café El Estaño (nas ruas Hernandarias e Aristóbulo del Valle) e depois poder ver, mesmo que de longe o popular Caminito… o símbolo do bairro azul e amarelo.

Uma vantagem que o serviço oferece é o fato de poder descer em qualquer ponto do percurso e subir depois. Só não se esqueça de guardar o bilhete, que deverá ser apresentado mais tarde!

O retorno é realizado pela Avenida Patrícios, no bairro de Barracas. Próximo destino? Puerto Madero, o bairro mais novo de Buenos Aires, com os seus elegantes e modernos prédios comerciais e residenciais. Uma curiosidade de Puerto Madero? Todas as suas ruas têm nome de mulher. É também o lugar de trabalho ou residência de empresários bem sucedidos e jovens políticos de carreira surpreendentemente ascendente.

Chegando ao prédio de Buquebús, os ferry boats que comunicam Buenos Aires com o Uruguai, completamos duas horas de viagem. Ás vezes existe uma falta de sincronização entre o áudio e o passeio, mas é compreensível: o agitado trânsito portenho nem sempre ajuda.

Clique aqui e leia a segunda e última parte deste artigo