Comidas típicas argentinas: o locro

Se você é daquelas pessoas que gostam da gastronomia de outros países, é bem provável que já tenha ouvido falar do locro, uma das comidas típicas argentinas mais famosas.

Diferente do churrasco ou do bife de chorizo que podem ser encontrados e apreciados praticamente em qualquer restaurante ou churrascaria da cidade, o locro é um prato que só pode ser achado em restaurantes especializados em comida regional. Dificilmente possa aparecer nos cardápios dos lugares tradicionais.

É originário do interior argentino, principalmente na região norte, embora também seja feito em outros países da América Latina, como a Bolívia, Equador, Perú e a Colômbia, porém com algumas diferenças leves.

Booking.com

No começo, há mais de dois séculos, era apenas um prato popular, mas com o passar do tempo foi aceito pela sociedade que morava em Buenos Aires. Hoje em dia, junto com as já famosíssimas empanadas, é a comida representativa nos feriados nacionais, como por exemplo, o 25 de maio (dia da Revolução) ou o 9 de julho (dia da Independência). Mas não é preciso ficar esperando essas datas, não: nos frios dias portenhos, um bom prato de locro quente é sempre muito bem-vindo!

Como é feito

Muitos consideram o locro a versão argentina da feijoada. Na verdade, algumas semelhanças os dois pratos têm. E as suas diferenças também.

Existem numerosas receitas, mas um locro de lei leva vários tipos de carne (boi, porco, linguiça branca, linguiça vermelha, bucho e bacon), além de incluir alhos e abóbora.  Alguns cozinheiros gostam de colocar ainda batata e batata doce. A hipercalórica caldeirada, que tem o aspecto e a consistência de um ensopado, deve ferver lentamente entre três e quatro horas numa enorme panela. Até aí, as semelhanças com a feijoada.

Locro argentino (Foto: Miguel Vieira)

Só que no lugar do feijão preto (ou vermelho) que a feijoada costuma trazer, o saboroso locro argentino leva milho e feijão branco (que deve ficar de molho com várias horas de antecedência). O arroz como acompanhamento também brilha pela sua ausência, mas mesmo assim o locro resulta muito tentador e delicioso.

Para dar um toque ainda mais colorido é servido junto com um poderoso tempero feito com óleo, cebolinha, pimenta calabresa e páprica. O aumento da temperatura interna vai ser inevitável!

Onde comer locro em Buenos Aires

Como já mencionamos no início do artigo, os melhores lugares para curtir um bom locro em Buenos Aires são os restaurantes regionais. O mais conhecido do público brasileiro é El Sanjuanino, que funciona nas suas lojas de Recoleta (na rua Posadas 1515), Barrio Norte (Sánchez de Bustamante 1788) e Belgrano (José Hernández 2345). O locro é sem dúvida um dos destaques, junto com as empanadas, os tamales (parecidos com as pamonhas brasileiras) e as sobremesas caseiras.

Locro argentino (Foto: Krista)

Consulte por passeios, traslados, shows de tango e outras atividades turísticas em Buenos Aires com os melhores preços do mercado!

Outros restaurantes recomendáveis para incluir no seu roteiro de gastronomia regional e desvendar os segredos do locro portenho? Aqui vão algumas dicas:

  • Ña Serapia, no bairro de Palermo (Las Heras 3357).
  • La Querencia (Junín 1314, também na Recoleta).
  • La Paceña (Echeverría 2570, Belgrano).
  • El Club del Progreso (Sarmiento 1334, Congreso).

O locro, uma boa comida típica argentina com muitas calorias e sabor. Como para se deleitar durante o frio inverno de Buenos Aires!