O bairro de Belgrano, um pedaço de Buenos Aires

Não muito longe do micro centro encontramos um bairro tradicional, porém atraente e que nem sempre aparece na lista dos lugares mais visitados de Buenos Aires. O bairro de Belgrano é vizinho de Palermo, Colegiales e Núñez, e tem uma área de aproximadamente sete km2. Seu nome é uma homenagem a Manuel Belgrano, o criador da bandeira argentina.

Sua rua principal é a Avenida Cabildo, que percorre um trajeto de mais de cinco quilômetros. Na verdade, é a continuação da Avenida Santa Fe (nascida na Praça San Martin, em Retiro). No final, chegando ao Puente Saavedra (ponto de separação entre a cidade de Buenos Aires e a província) é rebatizada como Avenida Maipú, já no município de Vicente López.

Muito para conhecer

O centro de Belgrano é o cruzamento da Avenida Cabildo e Juramento.  E nessa mesma esquina aparece um dos lugares emblemáticos do bairro: a Igreja da Imaculada Conceição (conhecida como La Redonda, pela forma de sua cúpula). A história diz que o notável escritor argentino Ernesto Sábato achou, nos porões e túneis embaixo da igreja, a inspiração para escrever o famoso Informe sobre cegos, um dos capítulos da sua magistral obra Sobre heróis e tumbas (1961).

Booking.com

(Foto: dev null)

Bairro de Belgrano (Foto: dev null)
Cabildo, a principal avenida do bairro de Belgrano

Enfrente à Igreja encontram-se a praça General Manuel Belgrano, com uma feira de artesanato muito visitada nos finais de semana e o Museu de Arte Enrique Larreta.

Descendo pela rua Juramento, e antes de chegar à estação de trem, a região se enche de colorido com a presença de um enorme espaço verde conhecido como as Barrancas de Belgrano.

(Foto: andreskrey)

Bairro de Belgrano (Foto: andreskrey)
Barrancas de Belgrano

Historicamente, o bairro sempre esteve dividido em dois: Belgrano C e Belgrano R. Mas qual é o porquê dessas letras?

  • Belgrano C está localizado entre as Avenidas Cabildo, Libertador, Congreso e a rua Zabala. Antigamente era considerado o centro do bairro, pois era atravessado pelos trilhos do Ferrocarril Central Argentino.
  • Belgrano R, com casarões tradicionais enfeitando as tranquilas e arborizadas ruas, encontra-se entre as Avenidas Crámer, de los Incas, Monroe e a rua 11 de Setembro. E seu nome faz menção àquele antigo trem que passava em direção à cidade de Rosário.

(Foto: Roger Schultz)

Bairro de Belgrano (Foto: Roger Schultz)
Uma típica rua de Belgrano R

Uma das vantagens que a localidade possui é a possibilidade de contar com diversos meios de transporte, que permite ao visitante se deslocar até outros pontos da cidade com relativa facilidade. Além das numerosas linhas de ônibus e táxis circulando pela Avenida Cabildo, o turista ainda tem o metrô.

Por exemplo, desde o centro, a maneira mais conveniente é utilizar a linha D do metrô. Ela vai da estação Catedral (na Plaza de Mayo) até o ponto final, a estação Congreso de Tucumán. A viagem demora cerca de 30 minutos. Mas, atenção: a dica é pegar o metrô no início do trajeto (Catedral), porque, senão, o número de passageiros é enorme e as chances de conseguir um assento vazio são quase inexistentes. Nas horas de pico, os metrôs de Buenos Aires costumam circular mais do que lotados.

Belgrano tem duas estações de trem saindo de Retiro: Belgrano C (Retiro – Tigre) e Belgrano R (Retiro – Bartolomé Mitre). Este último ramal permite a combinação com o Tren de la Costa e fazer um belo passeio ao longo da Zona Norte de Buenos Aires, até chegar finalmente ao Tigre.

O que podemos encontrar

  1. Lojas comerciais de todo tipo: roupa, calçado, eletrônica, eletrodomésticos, mercados, etc. Em geral, a roupa tem preços um pouco mais baixos se comparados com as lojas do micro centro ou os shoppings. Vale a pena conferir.
  2. Bares, restaurantes e locais de comida rápida.
  3. O esporte é um dos símbolos de Belgrano e vários clubes marcam a sua presença. De fato, podemos encontrar os estádios de três times de futebol: River Plate, Defensores de Belgrano e Excursionistas.
  4. Apesar de não se encontrar perto das principais atrações turísticas de Buenos Aires, Belgrano nos últimos anos foi conquistando certa relevância entre os turistas. Por isso, agora é muito comum encontrar diversas ofertas de aluguel de apartamentos por temporada. E, claro, os hotéis não poderiam faltar: os de maior destaque são o Apart Hotel Cabildo Suítes e Argenta Suítes Belgrano Hotel, ambos de quatro estrelas. Considerando as alternativas em questões de transporte, bem como a curta distância até o centro de Buenos Aires, se hospedar em Belgrano pode resultar uma opção interessante e diferente.
  5. A intensa e sedutora vida noturna de Las Cañitas, um pequeno bairro de poucos quarteirões dentro de Belgrano. Muitos barzinhos e restôs para curtir especialmente à noite, a maioria deles na rua Báez (a principal).
  6. A prestigiada Universidade de Belgrano, fundada em 1964 e que neste ano completa 50 anos.

O Bairro chinês de Belgrano

Como outras grandes cidades em todo o mundo, Buenos Aires também tem a sua China Town. O Barrio Chino (bairro chinês) está concentrado em não mais de quatro quadras, dá um toque bem informal e pitoresco e recentemente tornou-se uma atração turística por si só.

Nasceu em meados dos anos 80 e está formado não só pela comunidade chinesa, mas também de outros países de oriente (como Taiwan e a Coréia).

O Barrio Chino de Belgrano começa no cruzamento das ruas Juramento e Arribeños, e para entrar é necessário atravessar o seu imponente arco (com representações orientais que não deixam dúvidas da sua origem).

(Foto: Fabio Téllez)

Bairro Chinês de Belgrano (Foto: Fabio Téllez)
A entrada ao Bairro Chinês

As ruas estão lotadas de lojas de peças de artesanato, pequenos restaurantes e mercadinhos, todos eles refletindo a cultura oriental. As celebrações do Ano Novo Chinês são muito visitadas, não só pelos membros da coletividade, mas também de muitos vizinhos e curiosos.

O Templo budista Tzong Kuan é um dos destaques, e mantendo e respeitando a tradição chinesa, é preciso tirar os sapatos antes de ingressar.

Inicialmente foi uma simples curiosidade dentro de Belgrano, porém nos finais de semana mais de 20.000 pessoas visitam atualmente o Bairro Chino: todos eles atraídos pela possibilidade de entrar em contato com os costumes, gastronomia e tradições da China.